Desavisados, turistas tentam visitar o Cristo Redentor

Taxistas e empresas de turismo já sentem efeitos no bolso da menor movimentação no local.

Apesar de todos os acessos ao Cristo Redentor estarem interditados desde a segunda-feira (12) por tempo indeterminado, muitos turistas desavisados apareceram na estação do trem do corcovado nesta terça-feira (13) para tentar visitar um dos mais famosos pontos turísticos do Brasil. Mas, ainda que um pouco decepcionados por não poderem subir, entendem a situação e buscam alternativas de lugares que tenham uma vista tão bonita quanto a do Cristo.

Quedas de barreiras bloquearam os acessos ao Parque Nacional da Tijuca, onde fica o monumento. Até mesmo a Estrada de Ferro do Corcovado ficou bloqueada e o trenzinho também não pode transportar os turistas.

A turista americana Rosalind Matzner disse que gostaria dever o Cristo depois que o marido contou como ficou impressionado com a vista quando foi ao Rio.

- É um pouquinho decepcionante, mas acontece. Estivemos no Pão de Açúcar e a vista de lá é muito bonita também.

O diplomata russo Vitaly Faddev que está a caminho de Brasília a trabalho, queria aproveitar o único dia que tinha no Rio para visitar os principais pontos turísticos, mas foi pego de surpresa com a interdição dos acessos ao Corcovado. Ele encarou a situação com bom humor.

- Acaba sendo uma boa razão para voltar ao Rio em uma outra oportunidade.

Alguns turistas, no entanto, reclamaram da falta de informação. Muitos não foram avisados, por exemplo, por motoristas de ônibus, motoristas de táxi ou atendentes de hotéis que não teriam como ir ao Cristo. A turista Fiji Georgie Schockmann conta que ouviu sobre a chuva, mas não entendeu a situação e reclama que poderia ter sido mais avisada.

As empresas de turismo já estão sentindo o prejuízo de todos os problemas ocasionados pelas chuvas que deixaram mais de 70 mil pessoas desabrigadas. Luciano de Abreu , dono da agência de turismo receptivo Check Point disse que o movimento em abril já costuma ser 50% mais baixo que a alta temporada, mas que por causa das chuvas esse número subiu para 70%.

- Toda a situação está espantando os turistas, mas a gente está torcendo para que o Rio saia dessa e volte a ser a porta de entrada do Brasil.

Os taxistas do ponto de táxi ao lado da estação do trenzinho também reclamam do baixo movimento. Em um dia normal, eles fazem cerca de 25 corridas, mas com as chuvas eles estão fazendo seis corridas por dia saindo do ponto.

Trip finder